Como você anda interpretando a vida?

por Fernanda Chaud
Exemplo de imagem
Você já deve ter ouvido que os fatos são neutros, e com exceção da natureza, o resto é interpretação. Por isso a minha pergunta é: Como você tem interpretado a vida? Por quais lentes tem enxergado o mundo e os acontecimentos?

Todos nós temos várias perspectivas sobre um mesmo evento (ou seja, várias interpretações e opiniões sobre algo que nos aconteça, aconteça na vida de alguém ou na sociedade de forma geral). Ao longo do tempo, vamos condicionando as nossas mentes a escolher um tipo de interpretação padrão. Com isso, vivemos sentimentos de forma padronizada e as nossas ações são condizentes com aquilo que acreditamos e sentimos. Isso significa que se a interpretação for boa, positiva, com foco no futuro, na solução e no aprendizado, independente do evento, a vida passa a ser uma montanha russa de aprendizados constantes.

No entanto, se sua interpretação dos fatos na maior parte do tempo não te favorecer, não te fortalecer, não te causar sentimentos bons e você não conseguir tirar aprendizados, provavelmente você também ande em uma montanha russa só que de emoções negativas. Stress, ansiedade, irritação, impaciência, desmotivação, esgotamento, tudo isso é gerado quando passamos a maior parte do tempo interpretando coisas que não nos favorecem.
 
Se existe várias verdades sobre uma mesma verdade, na maioria das coisas, porque não escolher uma verdade que te traga bons sentimentos e boas interpretações? Por exemplo, uma pessoa te fecha no trânsito, a interpretação padrão pode ser algo como "que pessoa folgada, que filho da mãe..." e por ai vai! Com esse padrão de interpretação sobre o fato NEUTRO de o carro ter avançado na sua faixa, você pode sentir raiva, irritação, chateação e acabar provocando uma briga de transito nem que seja por xingamento. Nessa hora, a pergunta ideal seria: Qual outra interpretação esse fato poderia ter? Ou em outras palavras, pode se duvidar: "Será que a essa pessoa é mesmo folgada e teve intenção de me fechar, ou talvez ela esteja com uma pessoa passando muito mal no carro ou quem sabe sua esposa em trabalho de parto e por isso ele não me viu?".

Existe tanta possibilidade de interpretação para um fato, que a única pessoa que pode escolher o que interpretar na sua vida, é você mesmo. Não é um trabalho simples, visto que crescemos e somos inundados de crenças e de interpretações padrões, mas como seres inteligentes que somos, devemos pegar o controle das nossas interpretações (pensamentos) sentimentos e ações, e o primeiro passo para isso é o autoconhecimento e autopercepção.

Comece a reparar mais nas suas interpretações e comece a se duvidar um pouco mais quando você tem uma "verdade absoluta" sobre algo. Inclusive se for alguma interpretação ruim sobre você mesmo como, por exemplo: "Eu vou esquecer a minha fala quando fizer a apresentação para o meu time". Duvide-se: "DUVIDO que eu vou esquecer minha fala, eu sei o conteúdo e sou muito bom no que eu faço", por exemplo.

Somos o Steven Spielberg das nossas próprias vidas, o nosso roteiro e interpretação é nossa responsabilidade, escolha as suas.

Cheers.

Fernanda Chaud
Feito com